Blog do Daka

Um espaço para compartilhar informações e estimular a reflexão.


Deixe um comentário

MetSul alerta que uma forte onda de calor marcará a semana no Estado e no Cone Sul

Segundo Luiz Fernando Nacthigall, membro da equipe MetSul Meteorologia, o tempo nesta semana no RS e no Cone Sul será caracterizado por ingresso de ar quente de origem tropical e, consequentemente, marcado pela primeira onda de calor do ano de 2013.

Confira na íntegra o excelente post do meteorologista Nachtigall:

“Foi um domingo de profunda tristeza, como será esta segunda-feira e toda esta semana, em consequência da tragédia de impossível assimilação em Santa Maria. Jornadas que nós gaúchos jamais vamos esquecer pela consternação e o sofrimento de quem viu seus filhos, irmãos, netos e amigos irem para uma festa para jamais retornar em desperdício incompreensível de vidas e de futuro. O 27 de janeiro de 2013 foi muito diferente também no tempo. Numa época em que deveria estar fazendo intenso calor, o Estado amanheceu com frio atípico. Como resultado do céu claro, vento calmo e do ar seco, as mínimas se deram em áreas de baixada. Caso do Parque do Caracol, em Canela, que teve só 6,2ºC. Em Santa Rosa, no Noroeste, o ar bastante seco trouxe mínima na estação de baixada da cidade de apenas 8ºC na madrugada e máxima de 34,6ºC, variação superior a 25ºC. No sábado, já tinha feito frio no Rio Grande do Sul com marcas de um dígito na Metade Sul e fronteira com o Uruguai. A menor marca do sábado foi na estação da MetSul em Morro Redondo, no Sul gaúcho.

A mínima oficial do domingo em Porto Alegre, no Jardim Botânico, foi a terceira menor dos últimos 50 anos na cidade no mês de janeiro com apenas 12,3ºC, conforme pesquisa realizada pela MetSul na base de dados do Instituto Nacional de Meteorologia. Em 19 de janeiro de 1990 fez 12,1ºC e em 2 de janeiro de 1975 a mínima foi de 11,4ºC. Os dados da base do Inmet apontam um registro de 11,1ºC em 30 de janeiro de 1974, porém não tomamos este dado como válido. Primeiro, porque esta marca não aparece como extremo da série 1961-1990 e no mesmo dia outra estações do Estado, inclusive próximas de Porto Alegre, registraram marcas bem mais altas.

Ar mais quente já começou a ingressar no Estado ontem pelo Oeste e o Norte, trazendo tarde de máximas bem mais altas que a do agradável sábado. O ar quente será bastante reforçado ao longo da semana, o que levará à primeira onda de calor de 2013 no Rio Grande do Sul com temperatura mito alta nos próximos dias, sobretudo na segunda metade da semana. As máximas poderão atingir valores ao redor dos 40ºC no Centro e no Oeste do Estado, inclusive na região de Porto Alegre. No final desta semana, a atmosfera se instabiliza com a aproximação de uma frente fria, o que provavelmente resultará em temporais isolados, alguns fortes, na Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul. A semana será tórrida também na Argentina, onde o calor será ainda mais extremo, possivelmente com marcas de 43ºC a 45ºC em algumas províncias e de até 40ºC na região de Buenos Aires.”

Fonte: www.metsul.com/blog2012/

Abraços

Dakir Larara

Anúncios


Deixe um comentário

Aquecimento do planeta estabilizado depois de mais um ano quente

Segue na íntegra o excelente post do amigo e membro da equipe da MetSul Meteorologia, Alexandre Aguiar. Vale a pena ler, pois o conteúdo é de primeira.

Por Alexandre Aguiar

NOAA (agência de Meteorologia do governo americano) e NASA divulgaram ontem os balanços climáticos de 2012. Segundo a agência espacial dos Estados Unidos, 2012 foi o nono ano mais quente desde 1880. Com exceção de 1998, a NASA destaca que todos os nove anos mais quentes ocorreram desde 2000 com 2010 e 2005 no topo. A agência analisa que 2012 teve média no planeta de 14,6ºC, 0,55ºC mais quente que a média 1951-1980 com aquecimento global de 0,8ºC desde 1880.

Comparação da temperatura média 2008-2012 no planeta com a temperatura média 1951-1980 (NASA)

Conforme o comunicado de cientistas da NASA, a temperatura média global móvel de cinco anos tem se mantido estável por uma década, o que segundo eles é interpretado como uma combinação de variabilidade natural e uma diminuição da taxa de crescimento do conjunto de forçantes climáticas. Ainda segundo a NASA, 2012 praticamente teve a mesma temperatura média global de 2011, mas bem inferior a de 2010. “As variações de curto prazo estão associadas principalmente às oscilações provocadas pela variação natural da temperatura do Oceano Pacífico”, diz o comunicado.

Variação da temperatura global 1880-2012 com indicativo da média móvel de 5 anos e das ocorrências de El Niño/La Niña e ainda das grandes erupções vulcânicas no período (NASA)

Variação da temperatura global 1996-2010 (NASA)

Já para o NOAA, 2012 foi o décimo ano mais quente desde 1880. A média anual global  foi 0,57ºC mais alta que a do século 20 de 13,9ºC. Conforme o NOAA, 2012 foi o 36º ano seguido com temperatura anual acima da média no planeta. Todos os doze anos deste século (2001-2012) estão no ranking dos 14 mais quentes da série de 133 anos e que é encabeçado por 2010 com anomalia de 0,66ºC. Só 1998 no século 20 teve temperatura maior que 2012. NOAA ressaltou que o planeta esquentou 0,06ºC por década desde 1880, mas 0,16ºC por década desde 1970.

Separadamente, a temperatura da superfície de terra em 2012 foi 0,90ºC mais quente que a média do século 20 de 8,5ºC, a sétima maior anomalia já registrada. O fenômeno La Niña se fez presente no começo de 2012, mas se dissipou no outono do Hemisfério Sul, sendo substituído por condições de neutralidade do Pacífico. Quando comparado a anos prévios com presença do La Niña, 2012 foi o mais quente até hoje observado, segundo o NOAA, batendo 2011. A temperatura média global dos oceanos foi 0,45ºC superior à média do século 20, a décima mais alta até hoje pela série do NOAA. Os três anos mais quentes nos oceanos, de acordo com a agência americana, foram 1998, 2003 e 2010, todos de El Niño.

Anomalias de temperatura entre janeiro e março de 2012, com presença de La Niña, e de abril a dezembro sob neutralidade no Pacífico (NOAA)

Anomalias globais anuais 1950-2012 com indicativos de anos de Niño, Niña e neutralidade (NOAA)    

Quanto à chuva, o NOAA informou que depois dos dois anos mais chuvosos já registrados no mundo (2010 e 2011) pelo órgão, 2012 teve um balanço de precipitação próximo da média em áreas terrestres ao redor do globo. A agência de Meteorologia do governo americano, contudo, pondera que as anomalias de precipitação apresentam enormes variações de uma região para outra no planeta, casos da região Nordeste do Brasil e do Meio-Oeste dos Estados Unidos que tiveram um ano muito seco.

Fonte: http://www.metsul.com/blog2012

Abraços

Dakir Larara