Blog do Daka

Um espaço para compartilhar informações e estimular a reflexão.


Deixe um comentário

As Pontes Derretidas do Google Earth

O erro pelo excesso de acerto. Veja como o Google Earth derrete pontes por acertar a topografia da Terra.

Se um rótulo de papel é aplicado sobre uma garrafa com saliências, a arte precisa levar em conta os altos e baixo relevos e a aplicação deve ser cuidadosa para que o 2D e o 3D convivam em harmonia.

O Google Earth faz a mesma coisa quando mapeia nosso planeta. Tira fotos de toda a superfície terrestre (2D, como se fosse o rótulo), mas leva em consideração o relevo da terra (o 3D, como se fosse a garrafa) para poder simular uma visão mais tridimensional em alguns lugares.

Esse processo é feito com algoritmos, uma conversa entre computadores e satélites, para que as coisas se encaixem com perfeição. Ironicamente, essa perfeição acaba gerando distorções, principalmente em pontes e estradas, que acabam ganhando o mesmo contorno do chão porque nossas amigas máquinas não sabem que a ponte não faz parte do leito do rio.

É fácil de entender o que acontece…

Peguei essa imagem acima para facilitar: tá vendo aquelas frases em vermelho na tampa? É como se fossem as pontes, elas seguem o relevo.

Na maioria das vezes essa distorção não é perceptível, mas em alguns lugares, dependendo da diferença na topografia e no contraste entre sol e sombra,  pontes e estradas são completamente derretidos pelo Google Earth.

Clement Valla é um caçador dessas anomalias onde, paradoxalmente, o acerto gera o erro. As imagens são do Google Earth, mas ele as coleciona.

Ah, máquinas… O duro são as exceções não é mesmo?

Abraços

Dakir Larara

Anúncios


1 comentário

Concurso elege melhor imagem captada por satélite

Uma foto do rio Rakaia, na Nova Zelândia, que lembra uma fita trançada em azul e branco, foi a vencedora de um concurso online promovido pela empresa americana DigitalGlobe para eleger a melhor imagem por satélite captada pela companhia em 2011. A imagem do rio Rakaia, captada em março de 2011, foi a mais votada pelos internautas na página da empresa no Facebook.

Ela ficou à frente de imagens do arquipélago artificial Palm Island, em Dubai, do vulcão Mauna Loa, no Havaí, de um porta-aviões chinês durante testes no Mar Amarelo e das ilhas Tahaa e Raiatea, no Arquipélago da Sociedade, no Pacífico.

As fotos foram selecionadas entre 20 imagens publicadas pela companhia em sua conta no Flickr, site para compartilhamento de imagens. A seleção inclui ainda imagens dos estragos na usina nuclear de Fukushima após o tsunami de março, o complexo de Muammar Khadafi durante os confrontos na Líbia e os trabalhos de reconstrução no Ground Zero, em Nova York.

Confiram a foto vencedora, bem como as demais concorrentes. Vale a pena dar uma olhadinha!!!

Foto que mostra o Rio Rakaia, na Nova Zelândia, como uma fita azul e branca em março de 2011 foi a vencedora do concurso.

Esta imagem do arquipélago artificial Palm Island, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, foi a segunda mais votada pelos participantes do concurso. Os votos foram dados por meio da página da empresa no Facebook.

A terceira foto mais votada pelos internautas foi esta, que mostra o maior e mais ativo vulcão do mundo, o Mauna Loa, localizado no Havaí. A imagem foi captada em agosto de 2011.

Esta imagem captada no dia 8 de dezembro, no Mar Amarelo, entre a China e as Coreias, mostra o porta-aviões chinês Varyag durante seu segundo teste, a cerca de 100 km do porto de Dalian, na China.

Estas duas ilhas, Tahaa e Raiatea, fazem parte do Arquipélago da Sociedade, um dos cinco arquipélagos que compõem a Polinésia Francesa, no Oceano Pacífico. A imagem acima, captada em outubro, foi a quinta mais votada.

A geleira Petermann conecta a camada de gelo da Groenlândia com o Oceano Ártico. Esta imagem foi captada em agosto de 2011, um ano após um iceberg com 251 quilômetros quadrados, ou um quarto da área total da geleira, ter se soltado.

A imagem da baía de Bombetoka, na costa noroeste de Madagascar, perto da cidade de Mahajanga, captada em maio de 2011, mostra onde o rio Betsiboka deságua no canal de Moçambique.

O distrito de Kangbashi, no deserto de Ordos, na China, recebeu grandes investimentos do governo do país para criar uma cidade ultra-moderna para 1 milhão de pessoas, mas se mantém praticamente vazio por falta de gente disposta a se mudar para lá.

A usina de energia solar Nevada Solar One ocupa uma área de 1,6 km² no vale Eldorado, nos Estados Unidos. A Nevada Solar One, que começou a operar em julho de 2007, produz cerca de 134 milhões de kwh por ano.

Esta imagem, captada em 5 de agosto do ano passado, mostra o trabalho de reconstrução no Ground Zero, o local onde ficavam as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, derrubadas pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

A imagem feita no dia 16 de março de 2011 mostra os estragos na usina nuclear Dai-Ichi, em Fukushima, no Japão, provocados pelo terremoto e pelo tsunami que atingiram a região cinco dias antes, provocando o maior desastre nuclear desde Chernobyl, em 1986.

A imagem acima mostra o complexo de Bab-al-Azizia, que abrigava o governo de Muammar Khadafi em Trípoli, na Líbia, no dia 22 de agosto, durante a chamada Batalha de Trípoli, que culminou com a tomada do poder pelas forças rebeldes do Conselho Nacional de Transição.

Espero que tenham gostado!!

Abraços

Dakir Larara

Fonte: terra.com.br