Blog do Daka

Um espaço para compartilhar informações e estimular a reflexão.

Aprenda a discordar usando a lógica do papel higiênico

101 Comentários

Por  (artigo na íntegra updateordie.com)

Qual é a forma certa de se colocar um rolo de papel higiênico no banheiro?

POR CIMA!

60% das pessoas têm a certeza absoluta que o certo é o estilo “cachoeira”, com o papel saindo por cima. É mais fácil achar a ponta, dá pra rasgar certinho no picote, não fica raspando a mão na parede (menos bactérias!) e hotéis podem sinalizar aos seus hóspedes que o banheiro foi higienizado, com dobras elaboradas ou colando selinhos.

POR BAIXO!

Os outros 40% acham esses 60% uns loucos e estão certos que o melhor é por baixo. O “caimento” é melhor, o papel não fica sobrando, gatos e crianças não conseguem desenrrolar um monte de papel e basta uma puxadinha para rasgar um quadradinho, porque para baixo tem mais tração.

Mas, afinal, quem está certo e quem está errado? Todo mundo. Não tem certo nem errado. O papel higiênico é seu, e você usa do jeito que quiser. É uma decisão totalmente pessoal, influenciada apenas por hábitos, com as duas maneiras suportadas por motivos bastante pertinentes.

POR QUE ISSO INTERESSA?

Essa questão bizarra do papel higiênico serve como dinâmica para colocar o foco na nossa habilidade de argumentação e não para se chegar a uma resposta, já que não tem o certo nem o errado. Por exemplo, o professor de sociologia Edgar Alan Burns, do Eastern Institute of Technology Sociology, usa esse truque no primeiro dia de aula. Ele pergunta aos seus alunos:

“Como vocês acham que o papel higiêncico deve ser colocado?”

E nos 50 minutos seguintes, os alunos naturalmente começam a avaliar os MOTIVOS para suas respostas e acabam chegando sozinhos a questões sociais muito maiores como:

• diferenças de papéis sociais entre homens e mulheres

• diferenças entre comportamentos públicos e privados

• diferenças entre classes sociais

• etc

São relações de construção social que nunca pararam para pensar antes, mas que agora, sem que ninguém os orientasse, conseguiram enxergar. Sozinhos, começaram a raciocinar e perceberam correlações e fatos. E, principalmente, começaram a argumentar.

No dia-a-dia, quase nunca fazemos isso. Geralmente, tomamos um partido e passamos a defendê-lo de forma passional, enxergando só o que nos interessa. Somos bons de discutir, mas ruins para argumentar. Piores ainda para mudar de ideia. Mais para o boxe do que para o tênis.

O que parece ser uma estratégia não muito inteligente para encarar essa nova sociedade em que conversamos com muito mais gente, sobre muito mais coisas, todo santo dia.

APRENDER A DISCORDAR

A aula do papel higiênico devia ser dada de cara para crianças. A escola ensina que existe o certo e o errado, e dá notas baseadas nisso. Mas podia estimular abordagens diferentes, habilidade de argumentação, capacidade de deduzir (algumas já fazem, eu sei, mas a maioria ainda não).

Do mesmo jeito que tem nota para as melhores respostas, deveria ter para as melhores perguntas também. Senão a gente vai continuar crescendo com essa mania de preferir estar certo do que aprender algo novo, do que parar pra pensar e repensar sempre. Aproveitar a bagagem e o raciocínio do outro.

Já reparou como a maioria dos comentários feitos todos os dias na internet não tem elaboração nenhuma? Ou é genial ou é a coisa mais estúpida que já se viu em toda a a história da humanidade. O programador Paul Grahan fez um gráfico bacana, que mostra a “Hierarquia da Discordância”, do mais ao menos elegante, do mais ao menos eficiente.

O design thinking é isso. A maneira de pensar de um designer não é a do certo ou do errado, porque não existe certo ou errado na hora de projetar um bule de café. Mas existe o melhor, o mais eficiente. É uma maneira de pensar em que se evolui a realidade.

Quem sabe um dia a gente consegue argumentar sobre futebol, política e religião. Dizem que não se discute, mas a recomendação só existe porque somos meio trogloditas. A propósito, o grande designer Donald Norman coloca os rolos de papel higiênico na sua casa… assim:

Abraços

Dakir Lara

Fonte: updateordie.com 

Autor: Dakir Larara

Geógrafo, Professor universitário, pai das lindas Dandara e da recém chegada Anahí e, claro, marido da amada Maíra.

101 pensamentos sobre “Aprenda a discordar usando a lógica do papel higiênico

  1. Muito interessante e inteligente esse artigo, primo.
    Bem merece uma aula, mesmo.
    Abç,
    Cármen Machado.

  2. Um artigo leve como o papel higiênico. Maravilhoso!

  3. Republicou isso em braboletrae comentado:
    Para iniciar qualquer reflexão…

  4. Republicou isso em Gabriel Touege comentado:
    “No dia-a-dia, quase nunca fazemos isso. Geralmente, tomamos um partido e passamos a defendê-lo de forma passional, enxergando só o que nos interessa. Somos bons de discutir, mas ruins para argumentar. Piores ainda para mudar de ideia. Mais para o boxe do que para o tênis”.

  5. Qualquer pessoa que tem gato em casa, já deve ter se reparado com aquele mar de papel desenrolado no chão do banheiro, porque o gato resolveu afiar suas unhas no rolo… Quem coloca a ponta por baixo, ao menos, resolve o problema , porque o gato sempre “afia” as unhas por cima, o que faz o rolo ficar girando por cima, e portanto, não desenrola o rolo.

  6. adorei as palavras ! parabens …

  7. Quando precisamos interpretar uma lei é interessante conhecer a intenção do legislador. O mesmo vale para invenções: http://hypescience.com/podemos-estar-usando-papel-higienico-de-forma-errada-ha-mais-de-um-seculo/

  8. Muito bom! Textos como esse,deveria ser dado aos alunos,na sala de aula,para que discutam e entendam as diversas formas de ver o mesmo assunto e ver que não somos donos da verdade!

  9. Pô! Acabaram-se as intermináveis brigas lá em casa. Eu me descobri um inflexivel. Vou avisar meus filhos que o livre colocar papel higiênico está estabelecido. De sobra ainda ganhei um super Ensinamento de como argumentar. Valeu!

  10. O lado certo é pra cima, conforme a Leticia mandou o link, e você agradece pela contribuição. Se tem o lado certo, sua “aula” (aula, ó Deus), cai totalmente por água abaixo. Vá escolher outro exemplo!

  11. caramba, pra mim banheiro deve ficar fechado! e muito menos é lugar de gato….POR CIMA!

  12. Fora o enorme detalhe que também pode ser extrapolado para o âmbito mais geral das relações sociais: tudo depende do tipo de dispensador que retém o rolo. Aqueles inseridos na parede são claramente estimulam que se privilegie a posição “por baixo” enquanto os outros que deixam a bobina mais exposta, como apoiado pela maioria das opiniões, sugerem que posição por baixo seja preferida pelo usuário. Contexto é tudo, né?

  13. Acho esse tema fantástico, a capacidade de argumentação, a possibilidade de ser ou não aquela expectativa de resposta! concordo que nossos alunos precisam pensar mais, realizar mais mesas redondas com facilitadores, onde todos possam deixar suas opiniões, por seu prisma da situação e não apenas concordar ou não.

  14. Eu acho muito mais facil colocar caindo de cima pra fora pq caso a ponta da folha nao esteja aparecendo, é mais facil achar colando o rolo de cima pra baixo do que ao contrario. Mais facil de pegar a ponta da folha.

  15. Como comprovou a Letícia, tudo tem o lado certo, independente do uso que se faça da questão. Aliás, intrigas de quem usa o papel virado para a perede, pq o Designer citado, apenas o deslocou de lado, usando-o corretamente conforme seu inventor.

  16. Por baixo , sobre tudo quando o rolo de papel fica acondicionado em uma escavação na parede e colocado tipo uma concha de louça afixada em que o rolo de papel é colocado naquela parte funda de louça juntamente com uma peça , atualmente de plástico , com uma mola em um dos lados , pra facilitar entrar na concha de louça , passando pelo meio do rolo de papel e firmando dentro da concha , ao puxar o papel por baixo , fixa cada vez mais na cavidade à proporção que puxa o papel; E por cima pode sacar o rolo de papel da cavidade.

  17. Unica coisa que não gosto é que ultimamente colocam o suporte do papel higiênico quase no chão, muito ruim para pessoas mais velhas, nas casas mais antigas o rolo ficava mais em cima aqui no RS pelo menos.

  18. cada um tem seu modo de uso ,,é o que nos mostra a tematica ,,mais para mim o que importa é uso final ,pois para todos o resultado sera o mesmo > limpar-se.

  19. Muito boa reflexão. Vou repassar aos amigos. A maneira de se colocar defronte a uma discordância já separou e uniu amigos. O argumento também requer um tom de voz adequado que muitas vezes fala por si só. Vou refletir mais sobre o texto que valeu muito para mim.

  20. Muitoooo legal!!!

  21. Algo simples, mas com argumentos esclarecedores.

  22. Expondo a minha opinião…Eu não quero dizer que estou certa. Acho mais prático por cima, como dizem estilo “cachoeira”….Mas isso não vai ao caso. O mais importante no contexto são as opiniões de cada um serem respeitadas e provocar o diálogo em certas questões mesmo que pareça banal….

  23. Interesse o assunto é argumentação e foca-se em discutir o exemplo. Talvez antes de incentivar a argumentação melhor tentar investir no entendimento e compreensão.

  24. Boa Tarde professor, gostei do seu artigo e tive a ousadia de copiar sua imagem de Hierarquia da discordância.

  25. Neste caso o Update or Die não foi a “fonte”, né? Você copiou o post inteiro, certo?
    Este é o post original: http://www.updateordie.com/2013/11/14/aprenda-a-discordar-usando-papel-higienico/

    • Caro Gustavo Giglio. Não tive nenhuma intenção de ficar com os direitos autorais do artigo. A ideia foi de replicá-lo aqui no blog. Coloquei o link e o nome do autor autor no post. Grande abraço e obrigado pelas observações.

  26. Sempre os deixei pra cima, que acho que é mais pratico. Fácil de pegar e fácil de achar…

  27. Reflexão bem elaborada!

  28. discussão profunda seria a que lado devemos usar o papel higiênico, de frente para trás ou de trás para frente………….

  29. Ouvi dizer que o inventor do papel higiênico o inventou para ser usado por cima….

  30. Achei um assunto idiota. Pelo que vi das tuas credencias, não parece que sejas a pessoal mais inteligente do mundo para discutir com profundidade um assunto tão simplório. E, pensando bem, te acho até meio babaca!!!! kkkkk Desculpa aí amigo!! Só exercitando a pirâmide!! kkk Muito bom!!! Parabéns!!!

  31. Eu gosto de colocá-lo por cima pela praticidade .

  32. Quanto a seu comentário “O papel higiênico é seu, e você usa do jeito que quiser. É uma decisão totalmente pessoal (…)”, ocorre que em um grande número de casos, o papel não é exclusivamente “seu”, é da família, do casal e, portanto, não é decisão pessoal. Aqui em casa é assim e decidimos que cabe àquele que trocar a preferência: se acabou comigo, eu troco de acordo com minha preferência e minha escolha será respeitada; bem como o contrário. E vida que segue.

    Ah, eu coloco saindo por baixo .

  33. O texto é bacana, mas ele tenta obter autoridade atribuindo conceitos dito por outros sem citar as fontes, introduz pesquisas sem mostrar por quem foram feitas, fala sobre falácias, mas comete já que é fácil atribuir a alguém uma fala na internet, deviam mostra ONDE obtiveram.

    Este é outro grande problema, acreditam em tudo que foi escrito ou dito por outrem, dito especialista, sem buscarem fundamentos ou fontes que sustente.

  34. Por cima: “..o papel não fica sobrando…”
    Ops! Cade a tal lógica? huahuahua!!!

  35. Olhando bem para a foto do papel na casa do designer, o papel esta voltado para o vaso sanitário. Ponto para o pessoal que vota pelo papel para fora, zero ponto para o pessoal que põe o papel encostado na parede. Ou seja, até o designer percebe o que é melhor, mesmo usando de: sou designer, pra mim não tem certo ou errado. Balela pura, a resposta está na foto.

  36. 👍🏿👍🏿

  37. Muito bom mesmo este artigo ! Este já foi um assunto debatido em uma roda de amigas. E chegamos a conclusão de que cada um usa como achar mais produtivo.. kkkkk. Muito bom !

  38. Então o Donald faz parte dos 60%, pois se colocasse o papel virado para baixo iria encostar na vassourinha…
    kkkkkk

  39. PQP eu ainda perco o meu tempo…..PQP.

  40. Qual dos dois jeitos vira esteira pra gato? Kkkk

  41. Pelo que sei, na Índia grande parte da população não se usa papel higiênico… Por que usamos mesmo?

    Gostei do texto, porém discordo quanto à não existência de certo e errado. Existe o certo e o errado dentro dos conceitos aos quais assumimos para nossas realidades pessoais, ou seja, dentro do que escolhemos para nós mesmos, nossas escolhas são balizadas pelos nossos próprios conceitos de certo e errado, mesmo que por algum motivo escolhemos agir pelo que consideramos “errado”.
    Se existissem conceito sociais absolutos, que valessem para toda a humanidade, os conceitos de certo e errado também seriam absolutos, mas não é o caso.

  42. Parece que há estudos que demonstram que se economiza papel quando desenrola por baixo, do lado da parede. Nos hotéis com muitos quartos é assim que o colocam. Eles lá sabem…

  43. O problema não é se vai por cima ou por baixo. Cada um faz como gosta, desde que o prazer seja satisfatório. Agora, usar o papel higiênico para conseguir treinar como chegar a conclusões sobre temas diversos, é realmente uma sacada legal pois também “limpa” muitas possíveis discordancias que atrazariam suloções discrepantes. (Se não entendeu, use o Ph).

  44. Parabéns pela inteligentíssima abordagem desse assunto que , a “priori”! parece banal mas , na realidade é bem profundo !

  45. Republicou isso em Espaço de VIRGINIAe comentado:
    Um inteligente e bem interessante artigo !

  46. O texto se baseou na premissa de que o papel higiênico tem igual utilidade independente do sentido que é posicionado. Está errado. Péssima escolha de premissa… Só há um sentido correto. Não se “opta” milhões de bactérias por evitar que gatos puxem o rolo. O fato de um gato estar puxando papel só demonstra a incompetência dupla do seu dono. As coisas nunca tem várias verdades, isso é uma abstração filosófica que não se aplica à física, que é quem domina o cotidiano. Sinto muito, o texto inteiro torna-se inócuo com uma premissa falsa.

    • Muito bem, Johnny, você disse claramente o que eu quis dizer, fazendo muitas voltas, em meu comentário posterior…

  47. Moral da história: não importa de que lado saia o papel higiênico, e sim que ele acerte o objetivo dele.

  48. Legal! Poderia corrigir a palavra “enrolar”, foi escrita com rr.

  49. bem antigo o assunto, interessante foi o modo de se colocar o assunto para filosofar em grupos sociais.

  50. MUITO BOM, obrigada!

  51. Kkkkk, eu não uso psael higiênico no meu bsnheiro. Acho feio e antihigiênico. Uso somente duchinha higiênica e papel toalha para enxugar. No entanto, a colocação do rolo de papel toalha vem a gerar a mesma polêmica do papel bigiênico! E agora?

  52. …não é suposto os gatos mexerem no papel higiênico…

  53. Uns enrolam o papel na mão sentido horário e outros anti-horário !!

  54. Li o artigo do papel higiênico por curiosidade. Me surpriendi como vc conseguiu resumir ou induzir a leitura, para uma conclusão que, a meu ver, é o principal problema da maioria das mazelas do nosso tempo: desaprendemos a trocar idéias!
    O radicalismo das pessoas sobre todos os assuntos, tem impedido nós brasileiros e o mundo todo, a evoluir através da troca de idéias. E só assim avaliamos o passado, discutimos no presente para melhorar o futuro. Acho q é nosso legado que está sendo deletado em detrimento das preferências pessoais. Valeu!

  55. Falta dizer algo… No campo individual, para quem mora sozinho, está tudo certo, o papel é de cada um.
    Mas se o papel higiênico é no único banheiro da família, deve haver um consenso para que cada um não mude a posição a qualquer momento.
    Da mesma maneira, na Sociedade dependemos da Lei e, onde ela não alcança, dependemos do costume e das tradições, para que haja respeito e uma boa convivência.

    • A respeito do rolo creio que seria melhor que fosse móvel para todos, pois pessoas que são direitas na hora de desenrolar vão se adaptar ele estando no lado esquerdo e viesse verça, entendeu a lógica minha opinião.

    • O que eu disse no meu comentário não é para ser entendido como intriga do papel higiênico.
      O que quero fazer é um contraponto ao pensamento do autor, de que não importa se você participa dos 60% ou dos 40%, você está certo.
      Nem sempre está.
      Eu quero dizer que se sua opinião é diferente da do seu vizinho, você pode aplicá-la livremente dentro da sua casa, desde que não incomode seu vizinho pela visão, pela audição ou pelo olfato.
      Foi isso que eu quis dizer.
      Não podemos nos servir de nossa liberdade de opinião para atuar EM SOCIEDADE do jeito que bem entendermos.
      Na vida privada, eu disse PRIVADA, fazemos o que bem entendemos, respeitado o que eu disse sobre visão, audição e olfato.
      Só para esclarecer a quem pensa diferente, não existe vida privada em lugares visíveis aos outros.
      É por isso que ninguém se importa com o seu rolo de papel higiênico, porque você não o usa no carro, na rua, no restaurante, no cinema, na praça…

  56. Depois de uma centena de comentários só tenho uma coisa a dizer: não importa a estratégia que você adote, o fato é que provavelmente 50% do rolo vai pra merda. Kkkk

  57. contanto que limpe.. tudo bem.

  58. Interessantíssimo ver os comentários após ler a matéria rsrsrsrs. Com certeza, muitos não leram tudo… “O CERTAO”,acredito que se enquadre na parte da piramide que diz “Resposta ao tom”. Parabéns gostei muito!!

  59. De acordo a patente do rolo do papel higienico, tem lado certo sim: por cima. É só pesquisar!

  60. Adorei! Sempre achei que o “meu” jeito era o “certo” …

  61. Isso enquanto tiver papel higiênico disponível para se comprar. Em Cuba, por exemplo, é usado o Gramna, o principal, se não o único, jornal do país para substituir o produto que é raríssimo. A Venezuela também é outro país que o produto desapareceu.
    Fica a pergunta: Porque falta papel higiênico em países socialistas/comunistas?

  62. Muito interessante e inteligente. Um bom motivo para estimular os alunos. Parabéns!

  63. Especialíssimo ! Gostaria de receber informações e atualizações com artigos pertinentes ! Ótimo ! Grato ! E_MAIL : xavalopes@hotmail.com . OBS. : Sou formado pela UFPEL RS e não pela UCPel RS , como colocaram no Perfil !!!!

    • Olá Luis! Obrigado pela participação. Tu podes assinar o blog ou me seguir no Facebook. Sempre coloco meus novos posts no Face. Qualquer outra informação, entra em contato. Obrigado mais uma vez.

  64. Certo e errado na mesa, e como sempre mostrando a sua inexistência já que a eficiência dos modelos tem a ver com a experiência e aplicação pessoal.

  65. De acordo com quem patenteou o desenho do rolo de papel higiênico, sim existe a patente de quem inventou o rolo da forma que conhecemos foi pensado para usar por cima, como uma cascata (60%). Procure no Google por: hygienic paper patent e toque em imagens que vai descobrir. Portanto a argumentação em uma discussão deve se iniciar com uma pesquisa antes de entrar em debates. É claro que você faz o que quiser e usa como quiser qualquer produto que você tenha pago por ele, mas que foi pensado e construído para funcionar de determinada forma isso foi.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s